BLECTUM FROM BLECHDOM

Blectum from Blechdom The Messy Jesse Fiesta,  são da Bay Area e  representam uma estranha raça de Noodlers eletrônicos a partir de final dos anos 90. Fartos das cada vez mais principais figuras do techno seco sem alma e electronica,  Blectums e os seus pares (Kid 606, Cex, Hrvatski) partiram para re-energizar a música eletrónica e dar-lhe um pontapé nas calças do punk . The Messy Jesse Fiesta  é o primeiro lançamento de Blectum De Blechdom,  um passo progressivo na direção certa. Primeiro, as faixas gravadas não são simplesmente para ser misturadas e desaparecerem dentro e fora de sets dos DJ, mas sim para serem ouvidas como uma experiência musical inteira.

E em 25 faixas a experiência é aventureira. Durante todo o registo combinam batidas techno com saqueados samplers ruidosos, riffs de guitarra e sintetizadores para criar um álbum alegre e divertido. Onde são mais criativos é na sua vontade de evitar o típico IDM-ismos que assolam tantos dos registos dos seus contemporâneos, como nas desarticuladas estruturas beat  muito finas e  uma “water-thin production”.

E, como um testamento para o alcance  musical dos Blectums,  a aparência de deuses do rock indie Jad Fair ( Half Japanese) e Kramer (Bongwater) num par de faixas fazem o registo  muito mais que intrigante.

Anúncios

COME

Come foi um pequeno parágrafo no indie rock da década de 90, uma nota de rodapé na página de muitos. Enquanto  triunfo entre os críticos foi o impetuosos Pavement, digressões pós-rock , ou mais tarde miserabilismos  do novo folk, nem Thalia Zedek ( viciada em heroína e veterana da cena indie-rock com uma carreira incluiu,  Live Skull, Uzi, e as obscuras bandas  Dangerous Birds e White Women) em Chris Brokaw (Codeine) encontraram o lugar certo para fazer o seu caminho agitado de tristeza compreensão e convenientemente ser ouvido.

Seus quatro álbuns (e seu single de estreia) mostram que Brokaw,  e Zedek tinham raiva dentro e uma guitarra elétrica muito perto de deixar passar a chance de se vingar. Com a sua imensa negatividade, deixaram um legado e no seu rastro, o caminho que estavam abrindo fechado com apenas alguns corajosos a segui-los, mas ninguém para se recuperar.

Hoje, Zedek mantém sua cátedra de solidão em discos solitários, às vezes doce, às vezes abruptamente elétrica. Enquanto isso, Brokaw radicalizou  experimentação na guitarra embora, é claro,  pálido em comparação com as gravações da sua banda. Porque, da sua aparente normalidade, a música foi reveladora  arriscada,  se  tivesse que escolher um musico para representar todas as tonalidades do grito de Munch, talvez não se hesite.

NEUTRAL MILK HOTEL

Auto descritos “fuzz-folk” Neutral Milk Hotel, foram um dos primeiros do colectivo Elephant 6 Recording Company- um círculo de grupos indie lo-fi que compartilhava músicos e idéias, e incluia os Apples in Stereo, The Olivia Tremor Control, e Secret Square.

Neutral Milk Hotel primeiro tomou forma em 1989 como um trio barulhento de rock que fez o seu show de estréia numa lavandaria local; um ano depois, Mangum, Hart, e Doss mudam-se para Athens, Geórgia, para formar o grupo Cranberry Life Cycle,que mais tarde se tornou, Synthetic Flying Machine (e finalmente the Olivia Tremor Control)depois Mangum partiu.

Em 1993,ele e Schneider mudam-se para Denver, Colorado, onde Schneider logo fundou os Apples in Stereo. Eventualmente, Mangum gravitou para Nova York e retomou a gravação, sob a égide Neutral Milk Hotel. Após os singles grava em 1996 o album On Avery Islan, segui-se  Aeroplane Over the Sea em 1998.

HALF JAPANESE

 

Não preste atenção à pictoresca arte da capa, da abrasivo pós-punk banda Half Japanese Loud (com o seu EP de 1983, Horrible) certamente faz jus ao seu nome.Poucos dos fundadores do punk rock poderia ter antecipado o extremo a que Half Japanese levou o ethos da música do-it-yourself. Fundada pelos irmãos Jad Fair e David, eram muito provavelmente a banda de rock mais amadora a fazer um registo desde as Shaggs.
Loud, 1981
Horrible, 1983

DAMIEN HIRST – VERITY

 

Recentemente, a escultura de Damien Hirst com 66-pé de bronze, Verity, foi colocada – erigida, na cidade costeira de Ilfracombe, Inglaterra.Os 66-pés de uma mulher nua bronze grávida segurando uma espada no alto de pé sobre livros jurídicos, com metade de suas entranhas expostas e metade do corpo dela apenas totalmente bronze e nua- “verity” em italiano significa “verdade” .

ARTISTAS MAIS PROCURADOS

E-Reputation Award mede a quantidade de vezes que um artista de artes visuais é procurado (pela sua biografia ou obra) em páginas de pesquisas na internet.

O ranking foi uma iniciativa da jornalista francesa Alexia Guggémos, editora da agência provedora de conteúdos Smiling People, especializada em estratégias de marketing digital.

Em 2012 este seria este o ranking dos 10 artistas mais procurados no Google:

1 BANKSY (UK)

2 JR (FR)

3 Jeff KOONS (US)

4 Shepard FAIREY (US)

5 Anish KAPOOR (UK)

6 Gerhard RICHTER (DE)

7 David HOCKNEY (UK)

8 Spencer TUNICK (US)

9 Wiliam WEGMAN (US)

10 Hiroshi SUGIMOTO (JP)

DEAD C

Dead C-Harsh 70’s Reality- 20th Anniversary Edition. Originalmente, viu a luz do dia em abril de 1992, Harsh 70s Reality não era apenas uma marca de água para esse ano, mas para as idades. Tecnicamente foi o quarto long-play dos Dead C (Thurston Moore é um fã) como álbum duplo, antecedido:Twin Infinitives e Lake. Mas Harsh 70s Reality deixou a mais forte e a mais ressonante impressão do que aconteceu na década.

As pessoas dizem que a música rock morreu com a passagem de Kurt Cobain. Mas os Dead C abateu-os no seu sono com este conjunto de moagem baque. Em todos os sentidos é um álbum final do post-rock.

Os Dead C foram formadas em Dunedin, Nova Zelândia 1987, com um line-up, guitarrista/ocasional vocalista Michael Morley (único membro dos Wreck Small Speakers e Expensive Stereos), baixista e lider da Xpressway label Bruce Russell, e o baterista Robbie Yeats (ex. Kiwi pop band the Verlaines).

BRUNO WALPOTH

Bruno Walpoth é um escultor italiano, nascido na cidade de Bressanone que impressiona pela realidade das suas esculturas.

São todas feitas de madeira e esculpidas a mão. Os humanos esculpidos são feitos em tamanho real de uma maneira simples, com expressões realistas que nos fazem ficar espantados com o sentimento que muitas vezes é visto na feição das suas estátuas que expressam uma personalidade ímpar em cada obra.

THE SCISSOR GIRLS

No final de 1980, enquanto crescia em Washington, DC, a baixista / vocalista Azita Youssefi (aka AZ) e Heather Melowic (aka Heather M) discutiam em formar uma banda. A idéia foi colocada em espera por um curto tempo, quando se mudou para Illinois Youssefi em 1989 para participar no Instituto de Arte de Chicago. Foi durante o seu primeiro ano na escola que ela conheceu a guitarrista Sue Anne Zollinger (aka SA) amiga e nativa de DC.

Youssefi convence Melowic a mudar para Chicago, e as duas convencem Zollinger a tocar guitarra na banda que tinham falado. O resultado foi o nascimento no verão de 1991, das The Scissor Girls, banda de rock experimental de Chicago, centrada em torno de Azita Youseffi.

O grupo era conhecido por se vestir com traje estranho no palco, com óculos de segurança e tutus e às vezes manchadas em grandes quantidades de maquilhagem que pareciam guaxinins. Num dos primeiros shows da banda em 1993 no CBGB, Nova York, o grupo abriu para Liz Phair.

Esta formação original gravou dois álbuns antes de Zollinger sair em 1994- decidiu sair da banda devido a conflitos de personalidade internos. Zollinger tentou convencer Kuvo em assumir a guitarra na banda, estava ocupada com o seu outro grupo, Dot Dot Dot, que contava com a baixista/vocalista Rose Meyers (aka Zeek Sheck), conhecida por trabalhar com Bobby Conn, e o baterista Jodi McCann (aka Jodi Mecanic, conhecido por gravar com os grupos Math, Duotron, e Monotona.

Kuvo também estava ocupada produzindo programas de televisão de acesso por cabo, de modo Youssefi e Melowic decidiram contratar um guitarrista chamado James Yoo-que estava reservado no tour de suporte ao 7″ Phy, Diablo!. A banda continuou por mais dois anos antes de terminarem.

Separaram-se em 1996, com Heather a passar para os Lake Of Dracula e Azita forma os Bride Of No No.

U.S. GIRLS

Um tumulto electroacústico ressoa pelas paredes, voz, teclados,  percussão primitiva,  agressivas e sombrias performances vocais e toda uma parafernália invocando tanto o hospício sintetizado dos Suicide como os fantasmas psicadélicos de Brigitte Fontaine. Meghan Remy expõe-se artisticamente como U.S. GIRLS, e em boa verdade, a sua encantatória sonoridade confronta-nos com uma multiplicidade difícil de classificar — no limite, há nela a nostalgia de um rock primitivo e agreste, desembocando na inquietação de uma paisagem noturna de David Lynch.

O epicentro do motim situa-se na cabeça acelerada de Megan Remy, rapariga de Toronto escondida por detrás do moniker U.S. Girls, que lançou pela Siltbreeze ( casa de Times New Viking, Sic Alps, Alan Licht, Eat Skull, Dead C, etc.) Introducing,  em 2008, e em 2010 Go Grey.

Apesar das suas ásperas experiências em fitas permanecendo no centro do som U.S. Girls, em 2011 com U.S. Girls On Kraak, via Kraak, sugere uma mudança de direção com um som baseado em samples, e uma presença mais viva da voz.

Lançado em 2012, Gem entrega-se na mudança sugerida nas versões anteriores, bem como no já longo alcance das performances ao vivo. Produzido por Slim Twig, o álbum foi a maior fidelidade de qualquer versão das U. S. Girls, acabando com a agressiva bateria eletrónica e  vocais distorcidos em favor de um estilo mais tradicional da gravação de uma banda ao vivo, bem como agradáveis covers de glam rock dos anos 60 e AM pop radio.

U.S. GIRLS passaram em Portugal, a 12 Fevereiro, 2009 + João Filipe & Jonathan Uliel no Plano B.
Este ano no dia 23 Novembro, 2012, tocam no CCVF, Guimaraes.

19 Nov – Point Ephémère, Paris, FR
22 Nov – ZDB, Lisbon, PT
23 Nov – CCVF, Guimaraes, PT
24 Nov – El Perro Club, Madrid, ES
25 Nov – Underground Club, Barcelona, ES
27 Nov – La Peniche, Lille, FR
28 Nov – Les Ateliers Claus, Brussels, BE
29 Nov – Paradiso, Amsterdam, NL
30 Nov – Monarch, Berlin, DE

01 Dec – Friese, Bremen, DE
02 Dec – Trauma, Marburg, DE
04 Dec – Incubated @ 013, Tilburg, NL
05 Dec – The Lexington, London, UK
07 Dec – FatCat Furballs show, The Green Door Store, Brighton, UK
08 Dec – The Castle Hotel, Manchester, UK