THE PASTELS

Glasgow ícones pop indie The Pastels anunciaram um novo disco, Slow Summits, com lançamento previsto para 27 maio no Reino Unido e 28 de maio nos EUA via Domino. Este é o registo da banda pela primeira vez desde Illumination, 1997, seguido do álbum de 2009 em colaboração com as japonesas, Tenniscoats.

Um comunicado de imprensa membros da banda deixaram uma marca no novo álbum, incluindo na banda sonora de 2003 para o filme The Last Great Wildnerness, e música para uma produção de teatro.

Slow Summits foi gravado em Glasgow pelo nucleo e duo da banda Stephen McRobbie e Mitchell Katrina, com contribuições de Tom Crossley, Blake Norman e Gerard Love dos Teenage Fanclub, Alison Mitchell, John Hogarty, original Pastel Annabel “Aggi” Wright, o Tenniscoats compositor Craig Armstrong, e membros dos To Rococo Rot. John McEntire dos Tortoise e the Sea and Cake co-produziu e misturou o album.

The Pastels anunciaram duas datas ao vivo: No festival Green Man no País de Gales em agosto e no CCA em Glasgow a 1 de junho.

Anúncios

ANDY WARHOL – ANIVERSARIO DA SUA MORTE

andy-warhol-tdk1 Hoje a morte de Andy Warhol completa 26 anos, (1928-1987). Em 1987, Andy Warhol, artista pop e produtor morreu após uma operação há vesícula biliar. A morte do artista a 22 de fevereiro de 1987, sacudiu o mundo. Em fevereiro de 1987, Warhol foi internado no Upper East Side de Nova York para uma operação da vesícula biliar simples e foi realizada sem complicações.

No entanto, em 22 de fevereiro, nas primeiras horas da manhã, sofreu um problema cardíaco e morreu. Apesar de várias investigações, nunca se sabe ao certo as circunstâncias da sua morte.

Andrew Warhola, filho de imigrantes tchecos, nasceua 6 de agosto de 1928 na cidade mineira de Pittsburgh, EUA. O pai de Warhol emigrou para os E.U.A em 1914 e a sua mãe juntou-se a ele em 1921, após a morte dos avós de Andy Warhol. Depois de estudar na Beaux-Arts, experimentou em publicidade, antes de ir para a arte, que estima ser mais livre. Ao longo da sua carreira, o seu trabalho é assombrado por três temas que era obcecado: a sociedade de consumo, a publicidade e a industria de massas.

A sua infância foi marcada por problemas de saúde o fez passar longos períodos na cama e que de alguma forma o ajudaram a estimular a sua criatividade. Depois de se formar, em 1949, mudou-se para Nova York, onde começou a sua carreira como artista comercial para várias revistas como a “Vogue”, “Harper Bazaar”, “Seventeen” e “The New Yorker”, com a qual rapidamente começou a ganhar fama como artista comercial.

Considerado um dos artistas mais influentes do século XX e o mais representativo da Pop Art, nascido em 6 de agosto de 1928 em Pittsburgh, Pensilvânia, transformou em sucesso os retratos de Marilyn Monroe, Liz Taylor, Mao Zedong, Che Guevara ou Jacqueline Kennedy, bem como as imagens publicitárias de Dick Tracy, Popeye, Superman, as garrafas de Coca-Cola e as latas de tomate Campbell.

Estas intervenções universais de construção, manipulação e uso de cores alegres e brilhantes, fizaram dele um artista polémico, provocativo, e famoso no mundo inteiro.

Em 1963, fundou a Factory de Warhol, um estúdio de arte localizado no quinto andar na Rua 47 número 231 East em Midtown (Manhattan, NY) reuniu ao seu redor inúmeras figuras culturais “underground” de Nova York, e começa a produzir as suas famosas fotografias eserigrafias, funcionou entre 1963 e 1968.

Em 1963 começou uma carreira no cinema com base nos mesmos princípios que o seu trabalho plástico (como repetição visual), conteúdo sexual forte e erótico: “Empire”, “Kiss” e “Chelsea girls”, e numa última etapa voltou para um formato mais tradicional e filma o “The Love” e “Women in revolt”.

Cinco anos mais tarde, sofreu uma tentativa de assassinato nas mãos de Valerie Solanas, uma escritora feminista e ativista que atirou seis vezes e causou uma mudança fundamental na sua vida- tenta matá-lo por três vezes. Declarado clinicamente morto, Warhol não se recuperou totalmente do trauma.

Depois desse episódio escuro, tudo vem junto: a música, as pinturas produzidas em série, e a ascensão meteórica que conhecemos. Ele não hesita em usar a sua fama para trazer jovens artistas de Nova York na frente do palco, Jean-Michel Basquiat e Keith Haring.

O fundador do movimento Pop Art, pintor, ilustrador, cineasta, escritor, produtor, e o manager de uma das figuras chaves por traz dos The Velvet Underground, desenhou a capa do album dos Velvet Underground And Nico, 1967 ‘banana’ e a capa de Sticky Fingers dos The Rolling Stones.

Truman Capote, Allen Ginsberg, Salvador Dali, Bob Dylan, Mick Jagger, Fernando Arrabal, Brian Jones e John Giorno foram algumas das “estrelas” que passaram pelo estúdio fundado por Warhol.

For those who used to say “When I die, I will not leave leftovers. I would disappear. People would not say “He died today,” they would say “it’s gone” is perhaps the only wishes that will not come true”.

De acordo com Artprice o ranking de 2011 das melhores classificações de artistas, era o terceiro, apenas atrás dos dois artistas chinêses Zhang Daqian et Qi Baishi e á frente de Pablo Picasso.

R. I. P. KEVIN AYERS

Sem títuloSoft Machine: (da esquerda) Kevin Ayers, Robert Wyatt, Mike Ratledge e Daevid Allen

4 DIAS SEM LIGAR O COMPUTADOR, COMECEI A TRABALHAR DEPOIS DE 5 MESES SEM FAZER NADA, DOU DE CARAS COM UMA TRISTE NOTICIA, Kevin Ayers, o mestre do psicadelismo britânico, o trovador da pastoral psychedelic pop music, morre aos 68 anos.
Kevin Ayers, membro fundador dos Soft Machine e figura central da chamada cena de Canterbury, faleceu há dois aos 68 anos.

Figura tutelar do psicadelismo britânico, Ayers gravou extensivamente a solo e viu o seu nome associado a importantes figuras como Brian Eno, Syd Barrett, John Cale, Robert Wyatt ou Mike Oldfield, nomes com quem colaborou ao longo dos anos.

São inúmeras as histórias que cruzam o nome de Ayers como verdadeiras lendas da música. No final dos anos 60, andou em digressão nos Estados Unidos com Jimi Hendrix, fazendo as primeiras partes dos seus concertos, e vendeu o seu baixo Fender Jazz branco a Noel Redding, que fazia parte do trio do homem de Are You Experienced? .

Ayers nasceu em Kent, em 1944, cresceu na Malásia e, já em Inglaterra, com amigos de escola formaria os Wilde Flowers, seminal banda de Canterbury de onde sairiam os Soft Machine, grupo que haveria de tocar no UFO Club de Joe Boyd, ao lado de bandas como os Pink Floyd, durante a era psicadélica. Depois dos Soft Machine, o músico mudou-se para França, onde ajudou a formar os Gong, nome central da cena de rock progressivo europeu.

Um dos seus trabalhos mais recentes é The Unfairground , álbum de 2007 que gravou com um luxuoso conjunto de convidados, incluindo Phil Manzanera dos Roxy Music, Robbie McIntosh, Bridget St. John, membros dos Go-Betweens e Teenage Fanclub, entre variados outros.

R. I. P. KEVIN AYERS

Kevin AyersAlto, bonito e voz tão excêntrica quanto genial, tinha todos os atributos necessários para o papel. Ele fez uma tourné com Jimi Hendrix e era amigo de Syd Barrett, fundador dos Pink Floyd. Foi ainda responsável pelo rompimento do primeiro casamento de Richard Branson.

Syd Barrett, cujos Pink Floyd eram, a par dos Soft Machine de Ayers, reis do psicadelismo britânico com sede no clube londrino UFO, desapareceu de vista antes de tomar consciência que ela, a juventude, iria desaparecer.

A primeira vez que teve atenção foi em 1967 com os Soft Machine, a sua pioneira banda de rock, o nome deriva de um romance do ícone da geração beat, William Burroughs- após obter a permissão do escritor, a banda fundiu géneros e manteve um desdém altivo para o sucesso gráfico. No entanto, a menos que se importava, mais a sua influência crescia.

Kevin Ayers nasceu em 16 de agosto de 1944 em Herne Bay, Kent. O pai, Rowan Ayers, foi produtor de televisão BBC e poeta menor. Quando os pais de Kevin se divorciaran a sua mãe casou-se novamente com um funcionário que estava na Malásia, e Kevin viver naquele ambiente provou ser uma experiência que teve um efeito profundo sobre ele para o resto da sua vida.

Com 12 anos foi enviado de volta para a Inglaterra, onde foi educado num colégio interno em Canterbury. Pouco inclinado para atividades académicas, era consideravelmente mais entusiasmado pela música e no estilo de vida boémio que em breve seria descrito como “hippie”.

Ele fez amizade com jovens e logo formando grupos. Em 1964 juntou-se aos The Wilde Flowers, nome em honra do seu herói Oscar Wilde, ao lado do baterista Robert Wyatt e do baixista Hugh Hopper.

Mas no ano seguinte Ayers deixou o grupo para ir viver na ilha de Maiorca. No entanto, não se distanciou dos antigos companheiros – tanto que Robert Wyatt acabou ficando paraplégico após cair numa festa de Ayers, em 1973.

Em Maiorca conheceu Daevid Allen, um guitarrista australiano já versado na boemia parisiense. Juntos, voltaram para Canterbury e formam os Soft Machine, Ayers acrescenta Wyatt para o line-up, o teclista Mike Ratledge e próprio Daevid Allen, futuro fundador dos Gong, substituído posteriormente pelo baixista Hugh Hopper.

Ayers gravou dois álbuns com os Soft Machine, o primeiro durante uma digressão americana com Jimi Hendrix, o segundo para cumprir uma obrigação contratual com a editora.

Soft Machine foram imediatamente saudado como um dos fundadores da música britânica psicadélica. Tocando ao lado de Pink Floyd, eles misturaram rock, folk e jazz para criar um novo som de forma livre, que influenciaria o jazz-rock e o rock progressivo na década de 1970. Assinando com o manager de Jimi Hendrix, os Soft Machine emitem o seu primeiro álbum, Volume One, e Kevin passou grande parte de 1968 a apoiar Hendrix numa longa turné pela América.

Tal esforço foi demais para Ayers, no entanto, preferiu uma vida de indulgência no Mediterrâneo. Mais uma vez saiu de cena e da música, para a vida em Ibiza, onde conviveu com problemas de dependência de heroína “foi a personificação desse ideal dos anos 1960 de criatividade, liberdade de expressão e amor livre”.

Mas os seus talentos marcaram-no como um cantor e compositor de nota, e a EMI Harvest rapidamente assinou-o como artista a solo. Em 1969, lança o seu primeiro álbum a solo, Joy Of A Toy, demonstra o seu encanto, misturando Noël Coward-esque com suaves sabores psicadélicos. Os jovens críticos britânicos de rock estavam entusiasmados, como John Peel na BBC, que defendeu Ayers no seu programa Radio 1.

Cabelos louros, bem-falante e espirituoso, Ayers rapidamente passou a ser visto como o menino de ouro do rock britânico no início dos anos 1970. Os seus álbuns Shooting At The Moon (1970) e Whatevershebringswesing (1971) foram bem recebidos, e contou com Ayers apoiado por um grupo de amigos vindo de todo o mundo que incluía, entre outros, Robert Wyatt na bateria e um adolescente Mike Oldfield na guitarra. Ambos os álbuns continham fortes, até mesmo canções populares, ao lado de uma grande quantidade de experimentação sónica, como se Ayers desvia-se de um salão musical singalong a loops de fitas.

Kevin lançou 17 discos a solo, com títulos como Lady June’s Linguistic Leprosy, e em 1973 lançou o album Bananamour – na época tinha um entusiasmo surreal por bananas- e o single Caribbean Moon. Finalmente, foi fazer rádio-friendly músic, depois de ter sido assinado com Chris Blackwell o patrão da influente Island Records, e empregando John Reid (manager de Elton John’s manager), parecia que queria ir além do seu nicho confortável de excentricidade.

O album resultante, The Confessions Of Doctor Dream And Other Stories (1974), posicionava Ayers para o sucesso mainstream, e um álbum ao vivo no London’s Rainbow theatre com Brian Eno, Nico, John Cale e Mike Oldfield, sugere que Ayers era acolhido no panteão da realeza do rock britânico.

No entanto, com riqueza e estrelato ao seu alcance, Ayers novamente se esquiva, preferindo voltar para as Ilhas Baleares, em vez de trabalhar ou andar em tourné e promoção. Prosseguindo vários vícios e mulheres em igual medida, começou a divertir-se. Oa seus albums em meados de 1970, Sweet Deceiver e Yes We Have No Mananas, falham em produzir os hits necessários e, no final de 1970, uma vez que o punk tinha abalado o estabelecido rock britânico, tinha em grande parte retirado os holofotes de Deia, Majorca, a vila que ficou famosa por Robert Graves.

Por essa altura Ayers conheceu Kristin Tomassi, a primeira esposa de Richard Branson, e começou um caso com ela. Embora o casamento de Branson fosse assolado por infidelidades de ambos os lados, a ligação de Ayers com Tomassi provou uma brecha irreparável. Ayers e Tomassi passam a ter uma filha.

Na década de 1980, viciado em heroína, deixou a sua criatividade nas mãos de outros. Os seus álbuns desse período eram uma ferida. A partir de Deia, Ayers gravou uma série de álbuns que entretém os seus seguidores mais fiéis, mas pouco fizeram para sugerir que ele foi tudo menos um homem fora do tempo. O seu álbum de 1992 Still Life With Guitar, foi um caso, em grande parte acústico, soa extremamente relaxado.

Foi a ultima gravação de Ayers a ter a guitarra do seu amigo, Ollie Halsall que iria morrer em breve de overdose de drogas. Ayers depois retirou-se quase completamente do mundo, compra uma propriedade em Montolieu, no Sul da França (Maiorca tornou-se muito popular e cara). Lá viveu discretamente, financiado pelo fio dos royalties.

Também vivendo em Montolieu o artista americano Timothy Shepard, fez amizade com Ayers. Shepard, depois de ter ouvido as gravações caseiras e novas canções de Ayers, está determinado a financiar um álbum e um set sobre reserva de sessões de gravação com conhecidos músicos mais jovens ( membros de bandas como os Ladybug Transistor, Neutral Milk Hotel, Teenage Fanclub, Euro Child dos Gorky’s Zygotic Mynci, Phil Manzanera guitarrista dos Roxy Music, bem como os velhos amigos de Ayers, Robert Wyatt e Hugh Hopper). A etiqueta de Londres Lo-Max lançou estas gravações como The Unfairground em setembro de 2007, atraindo entusiasmados comentarios. Datas de uma turné foram-lhe oferecidos e falou-se de Ayers gravar com os Blur, mas não aconteceu.

Em entrevista naquele ano com o Daily Telegraph, em Notting Hill, era óbvio que Ayers não estaria assumindo compromissos adicionais: bebia muito, e descartou a idéia de gravar e apareceu traumatizado pela nova atenção. O menino de ouro do underground britânico, agora marcado pela bebida, não queria nada mais do que voltar para a sua aldeia francesa. E assim o fez e não tocou ou gravou de novo.

Era um dos grandes excêntricos da pop, um eremita sem temperamento e estrutura para jogar o jogo da celebridade. Era um bon vivant convicto, um dandy que saía de cena, não para criar uma aura de mistério à sua volta, mas porque preferia simplesmente ambientes “relaxados”, “com um melhor sentido de cerimónia para as coisas básicas da vida – comida, música, dança, sexo”.

Foi encontrado à hora do almoço por um vizinho. Terá morrido segunda-feira, contou ao Telegraph Bernard MacMahon, da Lo-Max Records, a sua editora.

Ayers morreu enquanto dormia na sua casa de Montolieu (sul da França), onde morou durante os últimos anos. Deixa uma filha com Kristen Tomassi, e duas filhas de outros relacionamentos.

DEAN & BRITTA

brittadean

Como membros do grupo indie lendário Galaxie 500, bem como Luna e o seu duo Dean & Britta, marido e mulher Dean Wareham e Britta Phillips tem uma discografia profunda e fascinante por trás deles. E vai expandir ainda mais, eles têm um total de três novos álbuns a caminho.

Wareham tem dois álbuns a solo completos, um dos quais foi gravado com o My Morning Jacket, Jim James, em Kentucky e o outro com o Jason Quever dos Papercuts em San Francisco.

Falando com Backstage Rider Wareham explicou que está esperando detalhes finais antes que revelar os novos lançamentos. “Em algum momento seram lançados sob o meu nome, mas editora e data de lançamento ainda vai ser determinado. A banda é ele, Britta e Anthony Lamarca (o baterista do grupo), mais contribuições de Jim James e Jason Quever, respectivamente”

Quanto a Britta Phillips, está a trabalhar num álbum solo, e explicou que está longe de acabar o seu registo e vai incluir covers dos The Cars e Fleetwood Mac, bem como material original.

“É um mix de produtos eletrónicos (drum machines, sintetizadores) baixo e guitarra de verdade”, disse. “Principalmente com andamentos suaves até agora, mas há uma canção original que se pode dançar. E começou como uma faixa instrumental de Dean e eu que gravamos para o novo filme de Noah Baumbach “Francis Ha!”.

RICHARD THOMPSON + JOHN PRINE

RT2_2468385bprine7_2471137b

Richard Thompson aos 63 anos, prepara-se para uma turnê no Reino Unido e para o novo álbum Electric.Richard Thompson divide o seu tempo entre casas de Los Angeles e Londres, mas as suas mordentes canções ainda tem uma imaginação muito Inglesa da primavera.

“Eu não sou tão afetado pelo ambiente quando escrevo música” disse. “Há uma paisagem interior que desenho, uma espécie de Brontë interior. É numa desolação que eu sempre vejo as canções acontecer. É um mundo ficcional. Talvez não existe mesmo”. Apesar da desolação emocional de algumas das suas músicas, há uma sagacidade e alegria no som da sua música de alguém que se descreve como “uma pessoa muito positiva, e optimista”.

Londres detém memórias felizes de John Prine, que está voltando ao Reino Unido e há Irlanda na próxima semana para uma turnê por demais rara.

O músico norte-americano assistiu as Olimpíadas de 2012 no seu sofá em Nashville. “O único desporto que eu faço agora é entre osmeus ouvidos”, Prine, ex-ginasta vencedor de uma medalha do ensino médio, diz. “Mas Londres parecia grande durante os Jogos e eu estou ansioso para fazer alguns passeios.”

A primeira viagem de Prine ao Reino Unido foi há suficiente tempo atrás e incluí uma sessão na Rádio Luxemburgo. Ele recorda: “A primeira vez que vim a Inglaterra em 1972 também fizemos um programa na BBC que a editora tinha criado para a imprensa européia no Speakeasy Club “.

Prine não tinha muito tempo deixou o exército (ele esteve na Europa durante a Guerra do Vietname) e tinha desistido do seu trabalho como carteiro para tentar no negócio da música. A sua descoberta em 1971 foi espetacular. Ele foi homenageado por Kris Kristofferson (“Prine escreve músicas tão boas que vai ter que quebrar os seus polegares”), e Bob Dylan.

Dylan disse ao Huffington Post em 2009, que Prine continua a ser um de seus escritores favoritos, dizendo:.. “Prine’s stuff is pure Proustian existentialism. Midwestern mindtrips to the nth degree. And he writes beautiful songs. I remember when Kris Kristofferson first brought him on the scene”.

BANSKY

Banksy+Um mural do artista gráfico Banksy, pintado pouco antes das comemorações do Jubileu de Diamante da rainha Elizabeth 2ª em 2012, desapareceu de uma rua de Londres e foi colocado à venda num site de leilões americano.

A obra mostra um menino agachado ao lado de uma máquina de costura fazendo bandeirolas britânicas. Ela desapareceu da lateral de uma loja Poundland, em Wood Green, no norte de Londres.O trabalho está agora à venda em Miami.

Um representante da administração do bairro, Alan Strickland, disse que os moradores estão ‘furiosos’ com a remoção e deram início a uma campanha pelo retorno da obra ao seu local de origem.

O site Fine Art Auctions, em Miami, descreveu o trabalho como ‘estêncil e tinta spray em interpretação das tradicionais bandeirolas do Jubileu’.

A empresa rejeitou as acusações de que o mural teria sido roubado, dizendo que a obra veio de um ‘colecionador muito conhecido’, que assinou um contrato afirmando que tudo estava ‘por cima do balcão’ (feito legalmente).

O trabalho havia aparecido na Avenida Whymark, em Wood Green, em maio do ano passado. Acredita-se que seja um comentário sobre o uso de trabalho informal de menores.

O professor Paul Gough, que estuda arte de rua, afirmou que a obra é muito provavelmente um original de Banksy, que trabalha no anonimato e raramente assume seus trabalhos. Os andaimes e lonas foram retirados na sexta-feira e no sábado moradores notaram que, onde estava a obra de Banksy, agora havia um buraco na parede.

A Poundland disse que não é responsável por ‘vender nem remover o mural de Banksy’ e afirmou que não é dona do edifício onde fica a loja.

Os donos da propriedade foram localizados e a autoridade local está tentando contactá-los para saber se o trabalho foi retirado legitimamente do muro.

Moradores também estão organizando uma campanha por e-mail, pedindo que o site de leilões desista da venda.

O trabalho de Banksy tem sido alvo de uma série de roubos ao longo dos anos.Em maio de 2010, duas obras foram roubadas de uma galeria de arte em Londres, depois que um homem usou uma placa de rua para quebrar a vitrine da galeria.

Um ano depois, uma obra conhecida como Alarme de sêmen foi arrancada do muro de um hotel no centro de Londres e apareceu no site eBay à venda por cerca de R$ 51 mil. A obra nunca foi recuperada.

NEW ORDER

ng2382072O álbum é uma compilação de 8 faixas que ainda não tinham sido lançadas e que foram gravadas durante as sessões quando o grupo trabalhava em ‘Waiting For The Siren’s Call’ de 2005, mas ficou na gaveta após a separação em 2007. Agora os New Order editam ‘Lost Sirens’.

Pode ficar na história como um “álbum perdido”, um pouco como em tempos o foram o Black Album de Prince ou Smile dos Beach Boys, e ainda o é Reportage, o disco em que os Duran Duran trabalharam depois de Astronaut e antes de Red Carpet Massacre, mas que nunca chegou a emergir das sessões de estúdio ou o já mítico Toy, que Bowie gravou por volta do ano 2000, juntando novas versões para canções que gravou nos seus primeiros discos, na segunda metade da década de 60.

Originalmente, o disco seria lançado em 2011, mas uma batalha legal com o ex-baixista Peter Hook impediu o lançamento. Uma oitava faixa, intitulada “Hellbent”, surgiu no início de 2011, enquanto a banda se preparava para lançar “Total”, coletânea que abrange toda a carreira. O tema Hellbent (será uma das melhores canções desta segunda vida dos New Order, posterior à reunião de 1998) tinha já surgido no alinhamento da antologia editada em 2005.

JOANA VASCONCELOS

ng2379030A artista, responsável pela representação portuguesa em 2013, vai transformar um cacilheiro e pô-lo a navegar na lagoa da cidade italiana.

O cacilheiro Trafaria Praia vai ser transformado em “obra de total” pela artista Joana Vasconcelos e representar Portugal na Bienal Internacional de Artes Plásticas de Veneza.

Atracado nos estaleiros da Navaltagus, no Seixal, o cacilheiro está a ser recuperado. Segue-se a intervenção artística. O exterior será revestido com azulejos, azuis e brancos, pintados à mão pela fábrica Viúva Lamego. O painel, inspirado no painel de Gabriel del Barco (século XVII), terá uma representação contemporânea de Lisboa, da Torre do Bugio à Torre Vasco Gama.

R.I.P TONY SHERIDAN

649eada0Tony Sheridan, nome artístico de Anthony Esmond O’Sheridan McGinnity – guitarrista, cantor, e compositor britânico, antigo parceiro dos Beatles, morreu, em Hamburgo, na Alemanha. Tinha 72 anos.

Em 1958 excursionou pelo Reino Unido com artistas dos Estados Unidos como Conway Twitty, Gene Vicent e Eddie Cochran.

Sheridan conheceu os Beatles ainda jovens (menos Ringo Starr, além de Pete Best) no início dos anos 1960. Eles estavam tocando num clube vizinho onde Sheridan tinha apresentações regulares, e que iriam vê-lo depois de terem terminado os seus próprios shows. Nessa altura, para além de McCartney, Lennon e Harrison, o grupo contava com Stuart Sutcliffe no baixo e Pete Best na bateria.

Ele introduziu-lhes American R & B, por um curto período, e serviram como banda de apoio de Sheridan. Em 1961, quando os Beatles regressaram a Hamburgo, para apresentações no “Top Ten Club”, enquanto tocavam foram abordados por Tony Sheridan para serem a sua banda de apoio, durante os concertos na Alemanha e numa série de gravações para a alemã Polydor Records, produzidas pelo famoso Bert Kaempfert.

Paul McCartney apelidava Sheridan de “professor”, em homenagem ao seu papel influente no ínicio dos anos 1960.
As suas primeiras gravações foram “The Beat Boys”, e Tony gravou com os Beatles sete canções que deu origem ao álbum “Tony Sheridan and The Beat Brothers”- “My Bonnie” ,”The Saints” e “When the Saints Go Marching In”.

Ele é creditado como o primeiro músico britânico no final dos anos 1950 a tocar guitarra elétrica num programa gravado, ao vivo, na televisão britânica.Viajou com as lendas do rock Jerry Lee Lewis e Chuck Berry. Ele lançou o seu último álbum, Vagabond, em 2002,e o DVD Chantal Meets Tony Sheridan (2005).

JOHN LENNON + MARK DAVID CHAPMAN

lennon_2314275bAs cartas enviadas por Mark David Chapman ao agente policial responsável pela sua detenção, Stephen Spiro, após o assassinato de John Lennon em dezembro de 1980 em Nova York, serão colocadas à venda por um valor de US$ 75 mil, informou nesta segunda-feira a casa de leilões americana ‘Moments in Time’.

‘Estiveram em meu poder durante 30 anos, agora tenho 66 anos, e pensei: o que vou fazer com elas? Portanto decidi que poderia vendê-las’, afirmou Spiro à rede ‘CNN’.

As cartas de Chapman, que cumpre pena numa prisão no estado de Nova York, mostra afabilidade com Spiro e pergunta insistentemente se leu o romance de J.D Salinger, ‘The Catcher in the Rye’ (‘O Apanhador no Campo de Centeio’), já que explicaria muito sobre o ocorrido na noite do assassinato.

As cartas são datadas entre janeiro e maio de 1983, já que posteriormente Chapman não voltou a enviar mais escritos para Spiro, que afirma que respondeu ao preso algumas vezes.

Além disso, o presidente da ‘Moments in Time’, Gary Zimet, anunciou que também colocará à venda o vinyl ‘Double Fantasy’, publicado por Lennon e a sua esposa Yoko Ono em 1980, que conta com o autógrafo do músico dedicado a Chapman. O disco terá um preço de saída de US$ 650 mil.

Chapman assassinou o músico britânico em 8 de dezembro de 1980 na porta da residência de Lennon no edifício Dakota, em frente ao Central Park de Nova York, disparou quatro vezes, crime pelo qual foi condenado a uma pena entre 20 anos e a prisão perpétua pelo delito de assassinato em segundo grau.

Na audiência de liberdade condicional de Chapman, em setembro de 2010, ele disse ao conselho que havia outros nomes na sua lista de alvos potenciais, incluindo o talk show Johnny Carson e Elizabeth Taylor.

“Se não fosse Lennon,  poderia ter sido outra pessoa”, disse ele, acrescentando que  escolheu o cantor porque ele era “mais acessível”.

Apesar dos seus contínuos pedidos para que seja decretada a sua liberdade após 31 anos de prisão, a Junta de Liberdade Condicional de Nova York recebeu dezenas de cartas argumentando contra a libertação de Chapman, incluindo uma da viúva de Lennon, Yoko Ono – acredita que Chapman representa um risco, para os dois filhos de Lennon, o público e para si mesmo. A Junta rejeitou tal possibilidade pela sétima vez em agosto de 2012.”Eu senti que matando John Lennon  me tornaria alguém e, ao invés disso, tornei-me um assassino e os assassinos não são alguém.

 

THE RESIDENTS – RANDY ROSE

tumblr_mhgwq2XXSu1rohjx5o1_500Ei pessoal! Então, nós tocamos o nosso primeiro show na noite passada! Foi no Ballroom Crescent em Phoenix e foi WAY COOL (claro, o que mais eu poderia dizer?), Mas é verdade. Nice local, ótimas pessoas, boa afluência – especialmente para uma noite de terça-feira. Então, hoje nós rolamos pelo resto do Arizona, Novo México, deserto total e completo conhecido como West Texas – agora nós estamos andando em Van Horn, enquanto o motorista do autocarro dorme. Amanhã é Austin.

January 29, 2013 – Phoenix, AZ – Crescent Ballroom

Randy