R.I.P. DAEVID ALLEN

17278192Aqueles que tiveram a sorte de ver Daevid Allen com Gong ou Soft Machine nunca vão esquecer a experiência. Prog rock com toques de jazz, humor, loucura e tudo freakiness round, num momento em que ser um anormal foi à maneira dele.

Infelizmente Daevid Allen faleceu como foi confirmado pelo seu filho, Orlando Allen na segunda-feira; o inovador, e excêntrico musico tinha 77 anos de idade.

“And so dada Ali, bert camembert, the dingo Virgin, divided alien and his other 12 selves prepare to pass up the oily way and back to the planet of love. And I rejoice and give thanks,” he wrote. “Thanks to you dear dear daevid for introducing me to my family of magick brothers and mystic sisters, for revealing the mysteries, you were the master builder but now have made us all the master builders. As the eternal wheel turns we will continue your message of love and pass it around. We are all one, we are all gong. Rest well my friend, float off on our ocean of love. The gong vibration will forever sound and its vibration will always lift and enhance. You have left such a beautiful legacy and we will make sure it forever shines in our children and their children. Now is the happiest time of yr life. Blessed be.”

Em fevereiro, á algumas semanas atrás Allen havia anunciado que teria seis meses de vida, após o cancro se ter espalhado para o pulmão.

“Eu não estou interessado em operações cirúrgicas sem fim e na verdade ele veio como um alívio saber que o fim está à vista. Sou um grande crente em ‘A Vontade de como as coisas são “, e também acredito que chegou a hora de parar de resistir, de negar, e render-me à maneira como ele é”.

Allen, um cidadão australiano, nascido em 1938, a quem foi recusada a entrada de volta para o Reino Unido a partir de França em 1967, terminou o seu breve mandato com os Soft Machine. Destemido, formou um novo grupo, Gong, e o primeiro álbum com esse nome foi Magick Brother, lançado em 1970.

Allen e a sua parceira, poeta Gilli Smyth, entoou as suas observações incisivas e chamadas à ação da contracultura como ‘mudar o mundo ‘, ao longo de um guisado orgânico de instrumentos em grande parte acústicos e percussão.

Um ano depois veio o brilhante, Camembert Electrique, veia mais psicadélica e progressiva do que o seu antecessor, incluiu a primeira menção da Radio Gnome Invisible, as suas transmissões a partir do Planeta Gong.

O álbum foi lançado originalmente no selo francês BYG Actuel em 1971, mas a recém-formada Virgin Records adquiriu os direitos em 1973. E num movimento que ganhou a exposição considerável do grupo, a Virgin vendeu por £0.49, o preço de um single.

Gong chegou ao conhecimento de famoso e lendário John Peel, que gravou sessões no seu influente programa de rádio.

Allen levou o motim da corrida imaginação com Radio Gnome Invisible Parte 1 – The Flying Bule, também lançado em BYG e alugado para a Virgin. O guitarrista Steve Hillage, que havia tocado nos Egg e nos Khan, foi convocado para a banda, junto como sintetizador de Tim Blake (aka Hi T Moonweed), acrescentando mais um sentido ‘cósmico’ à música.

Angel’s Egg, gravado mais tarde, em 1973, foi mais eclético do que o seu antecessor. E incluía elementos de be-bop e soundingchanson gálico. Este mundo de som deslumbrante foi explorado mais plenamente em You, o capítulo final da trilogia, lançado em 1974.

Enquanto Allen oferece menos, mas ainda assim dizer, as contribuições vocais e líricas, no jogo coletivo da banda, tinha atingido um novo patamar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s