R.I.P. Tangerine Dream’s Edgar Froese

R.I.P. Tangerine Dream’s Edgar Froese
In a truly sad bit of news, Edgar Froese, the legendary founder of German electronic music pioneers Tangerine Dream, has passed away after suffering a pulmonary embolism. He was 70 years old.

The band’s influence spanned genres and decades: Along with the likes of Kraftwerk, Can, and Neu!, they were pivotal in the development of the experimental electronic-rock hybrid known as krautrock. Later they had a major impact on ambient and new age music and helped define the spacey Berlin school of electronic music. Tangerine Dream’s music lent itself to movie soundtracks, so Froese scored numerous films ranging from the Tom Cruise romp Risky Business to the vampire Western Near Dark. Froese was active up until the present day; Tangerine Dream recently contributed the score for Grand Theft Auto V. His impact on modern music is incalculable.

News of the musician’s death was shared via the group’s Facebook page today (January 23), with the post confirming that Froese had died “suddenly and unexpectedly” in Vienna on Tuesday (January 20).

“The sadness in our hearts is immensely [sic],” the post reads. “Edgar once said: ‘There is no death, there is just a change of our cosmic address.’ Edgar, this is a little comfort to us.”

Froese formed Tangerine Dream in 1967, following the breakup of his psych-rock outfit the Ones. Over the years, Froese had produced an absurdly prolific catalogue of experimental electronic music with a revolving cast of supporting players. Debut LP Electronic Meditation was a Krautrock-leaning tape collage experiment, while landmark effort Phaedra was an expansive exploration of modular synth work, ambient tones and drones. The group’s last studio LP was 2014’s Chandra – The Phantom Ferry Part II.

Edgar Froese, the founder of pioneering electronic band Tangerine Dream, has died at the age of 70. According to Tangerine Dream’s Facebook page, Froese passed away “suddenly and unexpectedly” from the effects of a pulmonary embolism. He was residing in Vienna, Austria.

A native of West Berlin, Froese founded Tangerine Dream in 1967 and remained the band’s only constant member through its six decade existence. The band is well known for its mammoth creative output, having released over 100 albums in addition to scoring countless movie film scores and soundtracks.

Alongside fellow German outfits like Kraftwerk and Can, Tangerine Dream was a torchbearer of the Krautrock genre. In the 1970s, Froese began experimenting with new studio techniques, including sequencers and the Moog synthesizer. It was during these years that Tangerine Dream experienced the height of its critical and commercial success, as 1973’s Atem was crowned album of the year by influential UK DJ John Peel, and 1974’s Phaedra reached No. 15 on the UK charts.

For many, Tangerine Dream is familiar for its soundtrack work in films including Sorcerer, Risky Business, Firestarter, Flashpoint, and The Keep. More recently, Froese scored the video game Grand Theft Auto V.

Froese remained active up until his death: In June, Tangerine Dream released a new studio album entitled Chandra – The Phantom Ferry Part II.

Anúncios

COTI K.

coti kSer “produtor” na Grécia, não é uma profissão.Pela lei grega, o produtor de um álbum é a pessoa que paga para o lançamento do álbum. Para além de que a maioria dos músicos Gregos de rock underground quer produzir os seus álbuns exatamente da maneira que imaginam, assim um produtor não é necessário.

Costantino Luca Rolando Kiriakos, nascido em Milão, Itália, em 1966, mudou-se para a Grécia aos 6 anos onde é mais conhecido como Coti ou Coti K. envolve-se em várias bandas pioneiras das eletrónicas em Atenas desde meados dos anos oitenta(Ricochet, Dada Data, Raw, Spiders’ Web, In Trance 95).

Coti trabalhou como musico, compositor, instalações artisticas, desenvolve um bom nome como engenheiro de som e produtor musical, e as suas colaborações incluem: Tuxedomoon, Stereo Nova, Blaine Reininger, The Raining Pleasure, Nikos Veliotis, Ilios, entre muitos outros.

Como músico, desenvolveu um estilo pessoal para expressar o seu interesse em sons, city noises, musica indutrial, minimalism e ambient, em parte influenciado por artistas como, Erik Satie, Harold Bud, Ryuichi Sakamoto and David Sylvian.

Coti começou como baixista em meados da década de 80, na dark experimental band Ricochet, juntou-se a Film Noir para “Portrait of the Child” 1992, álbum que desenvolveu um interesse no lado mais eletrónico da musica, e no album dos In Trance 95 “Warm Nights” no mesmo ano.

Mais tarde tocou com Dada Data, Raw, Spiders’ Web e In Trance 95. Também como o 4 membro da banda Stereo Nova.
Coti participa no auto intitulado álbum dos Stereo Nova em 1992, e em “Land” Raw. Foi então que começou a lançar as suas composições a solo.

Tocou com os Stereo Nova em “Discolata” 1993, e com Raw no album “City” (Giannis Papaioannou, líder da banda de electrónica / experimental Raw, era o patrão da Elfish Records).
Coti trabalhou pela última vez com Stereo Nova “Asyrmatos Kosmos” em 1994 e neste ano lançou o seu primeiro EP a solo intitulado “Theros”.

Lançou vários CDs, a solo, escreveu música para cinema, teatro, companhias de dança e TV. Lançou quatro álbuns em CD: “Quasi” (1997) “Lego” (1999) “Metamemoria” (2002) e do CD duplo “, Lido / Lato” em 2004, assim como o EP “La Gru Gialla” em 2002.

Metamemoria foi o primeiro álbum a ser lançado a partir de um etiqueta estrangeira e tem colaborações com membros dos Tuxedomoon e apresenta a faixa do EP ‘La Gru Gialla “. Trabalhou como engenheiro, produtor ou mixer nos álbuns “Bardo Hotel” e “Cabin”, dos Tuxedomoon.

Membro do club 2-13, tocou em tempo real ao vivo musica eletrónica com músicos, Evan Parker, Phil Durrant, Nikos Veliotis, Rhodri Davies, Andrea Neumann, Phill Niblock, Mark Wastell, Matt Davis.

Coti colabora com Blaine Reininger no cd “Uneasy Listening” em 2004. Em 2008, Coti K. lança o 5 álbum a solo intitulado “Dunung”, seguindo-se “Onda”, 2010.

TRISOMIE 21

++++++++++TRISOMIETrisomie 21 The First Songs Vol. 1 & 2 . Trisomie 21 são o grupo com toque experimental do Norte de França. Philippe e Lomprez Hervé, dois irmãos de Lille, França. Algumas pessoas consideram a sua música como gótico, ou French coldwave.

O título é um pouco enganador, pois isto é a reedição da sua estréia “Le Repos Des Enfants Heureux” 1987. Originalmente lançado em 1983 Stechak Produto (Guerre Froide, Norma Loy).

As suas canções mais populares são “The Last Song”, “La Fête Triste”, e “Il Se Noie”. Os seus álbuns mais populares são Chapter IV,Works, Millions Lights, and The First Songs Vol 1 & 2. Em 2005, após 7 anos de ausência, Trisomie 21 lançou “Happy Mystery Child”.

Em setembro de 2007, o selo belga Alfa Matrix o mesmo das bandas Front 242, Leaether Strip, Anne Clark ou Mentallo & The Fixer) anunciou a assinatura com Trisomie 21.

Para aqueles que não se lembram, Trisomie 21 representa o cromossoma anormal que provoca a Síndrome de Down.

GO HOME PRODUCTIONS – RAYMOND SCOTT – THE EVOLUTION C. COMMITTEE

artworks-000039849436-jqfczi-t500x500 Remix Album- The Bran Flakes (Otis Fodder, Canada), The Evolution Control Committee (TradeMark Gunderson, U.S.), Go Home Productions (Mark Vidler, U.K.) were given hundreds of recordings owned by the Raymond Scott estate, in all genres, including unreleased material, spanning the 1930s to the 1980s. Eles foram convidados a divertirem-se, e a manter a rítmica, e infiltrara-nem. Cada um contribuiu com seis montagens de áudio com novos títulos, e eles colaboraram em sintonia com a assinatura de Scott, “Powerhouse”. Aproximadamente 250 fontes de samplers foram usadas na construção das 19 faixas. Esses samplers foram editadas, em loop, virados, e esticado, que foram otimizadas com equalização, pitch-shifting, compressão, e todo tipo de cosmetologia digital. Alguns vão reconhecer algumas passagens, mas em inúmeros casos, as gravações tornam-se irreconhecíveis. Álbum produzido por Irwin Chusid e Otis Fodder, a ser lançado pela Basta, em 2013.

RAYMOND SCOTT

rs-studo2Raymond Scott – cujo verdadeiro nome é Harry Warnow ( artista com sonoridade de nome judeu preferiu o silêncio das suas origens) – é um americano do Brooklyn, engenheiro eletrónico, músico de jazz e pioneiro da música eletrónica. Arranjador e diretor do Raymond Scott Quintette, foi um hit nas pistas de dança e entre os amantes de composições de jazz, os genéricos dos programas de TV de desenhos animados da Warner Brothers, além do grande Carl Stalling, Raymond Scott foi o autor da música dos melhores desenhos animados, Daffy Duck, Bugs Bunny e seus amigos Loony Toons.Um dos seus temas mais famosos, Powerhouse, escrito em meados da década de 30, foi usado dezenas de vezes por designers da WB.